Artigos
  
Você sabe para que serve o dimensionamento de equipamentos industriais?
20.jun.2016 [seg]
Você sabe para que serve o dimensionamento de equipamentos industriais?

Saiba como otimizar seu processo industrial a partir de máquinas bem dimensionadas

Este artigo foi escrito por Fluxo Consultoria - Empresa de Consultoria em Engenharia da UFRJ

Considerando a atual conjuntura do século XXI, na qual qualquer forma de desperdício é condenável, seja esse de matérias-primas ou até mesmo de tempo, faz sentido que indústrias em crescimento se preocupem cada vez mais com a otimização de seus processos. Uma forma muito eficiente de evitar tais perdas se dá através do dimensionamento dos equipamentos industriais utilizados. Mas o que significa isso?
 
Processo Industrial
 
Primeiramente, um processo industrial é o conjunto de procedimentos químicos, mecânicos, elétricos ou eletrônicos relacionados que acontecem em uma sequência específica com o objetivo de obter um novo produto. Geralmente, são realizados em grande escala, o que exige controle e monitoramento constantes para que não haja desperdício de materiais por possíveis falhas ou negligências em cada uma das etapas.
 
Fazendo uma analogia à uma residência, podemos considerar como processo o procedimento de lavar-louça: as etapas seriam de enxágue, ensaboamento e secagem. Agora pense naquilo que você precisaria para realizar este processo: sabão ou detergente, água e esponja. São elementos essenciais para que as louças sejam lavadas adequadamente, certo? No âmbito industrial, isso não é muito diferente. Cada processo envolve componentes imprescindíveis para a sua realização que, por sua vez, devem funcionar corretamente para que o resultado desejado seja alcançado. Garantir que os equipamentos industriais estejam dimensionados de acordo com os parâmetros de demanda do sistema é o mesmo que assegurar a qualidade e a segurança do produto final.
 
Como funciona o dimensionamento?
 
Fundamentalmente, este procedimento é dado por um cálculo de cada uma das operações unitárias que ocorrem em um processo, isto é, uma coleção de equações que determinarão todos os transportes ou separações de fluidos e transferências de calor ou de massa envolvidos em uma planta industrial. Em relação aos equipamentos industriais, são definidas as medidas necessárias de largura, altura e espessura, por exemplo, para otimizar ao máximo grandezas como vazão, velocidade, tempo de contato, entre outras. Também são analisadas as melhores formas de ordenação das máquinas, de modo que o reaproveitamento de subprodutos gerados seja contínuo e o processo tenha seu potencial de eficiência completamente explorado.
 
O dimensionamento é constituído por 3 etapas principais: Fornecimento de Dados, Estudo e Pesquisa e Recomendação. Preliminarmente, é realizado o levantamento ou fornecimento dos dados relacionados aos processos e equipamentos empregados. Após mapeadas as especificações necessárias, inicia-se a etapa de Estudo, na qual são realizados diversos cálculos de massa, energia e outras características do sistema a fim de analisar as dimensões adequadas para o processo em questão. Por fim, com as especificações já levantadas, é feita uma pesquisa sobre os equipamentos sugeridos, além da análise de possíveis fornecedores.
 
Sendo assim, pode-se concluir que as vantagens de um dimensionamento correto são muitas: diminuição dos gastos de matérias-primas e, consequentemente, dos custos gerais do processo; minimização do consumo de energia e a melhoria na eficiência dos processos como um todo. No entanto, não é tão simples realizar esse cálculo, uma vez que cada processo possui suas próprias variáveis e seria impossível padronizar com exatidão todos os equipamentos industriais sem prejudicar a segurança dos envolvidos. Ainda assim, não é uma escolha livre e existem algumas regras que devem ser seguidas para que nenhuma situação saia de controle.
 
Um exemplo de norma que rege o dimensionamento de equipamentos industriais é a NR-13. Em indústrias de processos, como petroquímicas, alimentícias, de papel e celulose, entre outras, são utilizados componentes que trabalham sob pressão ou vácuo e que necessitam de regulamentação com o objetivo de evitar possíveis acidentes. A NR-13, que engloba a instalação, inspeção, operação e manutenção de caldeiras, vasos de pressão – como reatores, trocadores de calor e colunas de destilação – e tubulações, é apenas uma das diretrizes que orientam o uso apropriado de máquinas fabris: existem diversas outras que buscam eliminar os riscos que um ambiente industrial abrange.
 
Quais são os produtos de um projeto como esse?
 
Na etapa de finalização, chega-se a um relatório final que abrange as especificações técnicas dos equipamentos recomendados e a análise dos fornecedores. Espera-se como resultado uma especificação detalhada de como é possível dimensionar, ou redimensionar, de forma adequada os equipamentos necessários ao processo em questão, a fim de aumentar a eficiência e garantir a qualidade do produto final.
 
Ficou interessado no dimensionamento, quer otimizar os processos de sua indústria e saber mais sobre como calcular corretamente equipamentos industriais? Entre em contato e continue acompanhando os blogs da CONSEQ e da Fluxo Consultoria!

Fonte: Fluxo Consultoria

Facebook
CONSEQ - Consultoria e Soluções em Engenharia Química Júnior
Campus Sede da Universidade Estadual de Maringá - Bloco 127 - Sala 03 Maringá-PR
Telefone: 44-3011-4263 / Email: site@conseqconsultoria.com.br
Nexus Design